Category :

Lembra quando você era jovem demais para beber vinho, tomou todas acima da medida e acordou com a pior ressaca da sua vida? Lembra que, provavelmente, quando isso aconteceu, você mal era maior de idade, comprou a garrafa no supermercado com os amigos, tomou escondido e deu no que deu? ;p

A maioria das histórias com vinho começa com “passei taaaaanto mal”, justamente porque, para muitas pessoas, o primeiro contato com a bebida é cedo demais para saber apreciá-la. Aí, passamos da medida e, quando ficamos mais velhos, não é muito fácil voltar a gostar de beber (ou sequer degustar) vinho, nem que seja um de muita qualidade.vinho-queijo-combinar-saovicente

Sim, fizemos coisas muito malucas na nossa juventude! Algumas das quais, como os porres de vinho, são inesquecíveis – só quem já teve sabe o quanto o arrependimento bate forte por ter ido além da medida. Mas, como cada idade tem sua dor e delícia, deixemos a “dor” do vinho para as lembranças adolescentes, e apreciemos sua delícia na eterna “juventude madura”, aquela época da vida que chega com vinte e poucos e para alguns não acaba nunca, onde abrir uma boa garrafa de vinho e degustar queijos, entre uma boa e uma ótima conversa com os amigos, é um prazer tão inesquecível quanto a ressaca. Mas com o benefício de não vir com a dor de cabeça e o mal estar depois…

Como escolher vinhos e queijos?

A melhor característica do vinho é que ele é uma bebida bem democrática: tem para tudo quanto é gosto. Do mais leve ao mais forte, com notas de frutas ou madeira, com sabor doce ou bem amargo, o que não falta por aí é tipo de vinho para trazer pra casa. E precisamos aproveitar: estamos em uma das regiões do mundo que produz os melhores vinhos. Os do sul do Brasil, da Argentina, Uruguai e Chile não devem nada às marcas europeias, tamanha sua qualidade.

Existem algumas regrinhas para combinar queijos e vinhos, mas é sempre bom lembrar que a melhor combinação é aquela que faz com que você aproveite tanto uma coisa quanto a outra. O que não pode acontecer, jamais, é que um sabor se sobreponha ao outro e as coisas se misturem. Se você só sente o gosto do queijo, ou do vinho, melhor trocar algum deles pra ver se eles se encaixam melhor.

No mais, as regrinhas são praticamente essas aqui:

Queijos frescos ou pasta mole (como Mussarela, Minas Frescal, Ricota, Coalho e Brie) vão bem com vinhos brancos, suaves e levemente aromáticos.

Queijos de média maturação (como Prato e Cheddar) vão bem com vinhos tintos leves e levemente frutados.

Queijos de pasta dura e de maturação longa (como o Provolone) vão bem com espumantes secos ou champagne, quando servidos como aperitivos. Dentro do prato principal ou sobremesa, vão bem com vinhos tintos.

Queijos Azuis (como Gorgonzola e Roquefort) vão bem com vinhos tintos frisantes.

Se você já entende tudo de queijos, a próxima etapa é fazer um curso rápido ou participar de degustações de vinhos. Já se você é expert em vinhos desde a adolescência (#risos), aí a dica é se enfiar na cozinha e provar tantos queijos quanto for possível.

Lembre-se: a idade da “juventude madura” é a melhor de todas, e pode durar pra sempre. Sem ressaca, sem dor de cabeça, e com muita, muuuuuita delícia. É só começar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *