Category :

Muito apreciada, a cerveja continua sendo a melhor companhia para petiscos de boteco, o que muitos não sabem é que ela vem ganhando espaço onde antes o vinho reinava de forma absoluta.

A Cerveja é uma bebida cuja carbonatação ajuda a limpar as papilas gustativas e a cortar a gordura do queijo, e suas múltiplas variedades combinam extraordinariamente bem com os igualmente diversos tipos de queijos.

A harmonização pode ser feita por contraste (bebida adocicada e queijo salgado), por similaridade (notas amendoadas presentes tanto no queijo quanto na cerveja).

Dicas para a harmonização

O site Casa e Jardim reuniu algumas dicas para a harmonização correta destes dois queridinhos.

  1. Quanto mais forte for o queijo, mais potente deve ser a cerveja. “Quando falamos em potência na cerveja, falamos em álcool e amargor”, diz a especialista Carolina Oda.
  2. Comece sempre com cervejas mais leves e queijos mais suaves, para depois ir para os rótulos mais encorpados e queijos mais fortes.
  3. Para todo mundo sair da degustação “inteiro”, limite o número de rótulos a cinco. Uma boa medida é beber de 150 ml a 200 ml de cada tipo de cerveja.
  4. Tenha pelo menos três tipos de queijo: um adocicado e/ou frutado (estepe, gruyère e em mental, por exemplo), um mais salgado (parmesão) e outro com fungos (brie, camembert).
  5. Sirva água à vontade durante a degustação. Ela serve tanto para limpar o paladar como para amenizar os efeitos do álcool.
  6. A temperatura de serviço das cervejas varia de 2 oC a 14 oC. Quanto mais alcoólica e complexa for a bebida, menos refrigeração ela pede. A recomendação para uma porter, por exemplo, costuma ser de 8 oC a 12 oC. Já uma pilsen cai bem estupidamente gelada.

Fonte: Carolina Oda, sommelièrede cerveja da importadora Tarantino; Guilherme Costa, sommelier de cerveja do Melograno; e Disney Criscione, gerente de relações institucionais da Tirolez e queijólogo

Harmonização por Tipos de Queijos

  • Queijos Frescos – como são queijos leves em sabor e com sabor sutil, as cervejas indicadas são aquelas tão leves quanto, como pilsen e Kolsch.
  • Queijos de Mofo Branco – como combinam muito bem com geleias, esse tipo de queijo pede cerveja do tipo fruit beer, weissbier, witbier e saison porque trazem a acidez que uma compota de frutas oferece.
  • Queijos Semiduros (gruyère, emmental, gouda) – estes queijos possuem o teor de gordura elevado e para combinar com esta peculiaridade o ideal são cervejas com boa presença dos sabores de malte, suave doçura com leve notas amendoadas e um teor alcoólico levemente elevado.
  • Queijos Azuis – Como são bastante intensos, gordurosos e salgados, os queijos azuis pedem uma cerveja com boa estrutura para equilibrá-los. O salgado pede doçura ou torrefação. A gordura pede amargor ou álcool, para limpar as papilas gustativas. Exemplos: Belgian strong ale, porter, stout, strong golden ale, tripel, barley wine
  • Defumados (Provolone) – A combinação de uma cerveja defumada, como a rauchbier, com um queijo defumado é apaixonante para quem gosta desse estilo, interessante para curiosos e um bom acompanhamento para os que fumam charuto

Há quem diga que a harmonização é algo bastante subjetivo, mas podemos perceber que não é, pois há técnicas para  identificar uma boa combinação. Vale dizer, porém, que apesar de ser uma harmonização correta, a combinação pode não agradar a todos, nestas horas o que importa é o seu paladar e o que o anfitrião pretende apresentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *